Crítica | Love, Death + Robots – Uma porrada de histórias e audiovisual

0

Nova série de animação adulta da Netflix

AUSTIN, TX – MARCH 09: David Fincher and Tim Miller (Getty Images for Netflix)

O mestre no gênero suspense psicológico, Sr. David Fincher (Clube da Luta, Millenium) juntamente com o profissional de efeitos especiais e animação, Tim Miller (Deadpool), reuniram com outros animadores para nos trazer esta série insana antológica.

Black Mirror, à primeira vista é parecidíssima e próxima do insano, mas ela não tem o nível de possibilidades que as animações têm.


Love, Death and Robots é um compilado de curtas animados (animações CGI, 3D, live-action, desenho setentista e outros), projetado por Miller e Fincher. Cada curta foi escrito e dirigido por animadores de vários países, e as histórias foram adaptadas de outras histórias.

Porrada de imagem e som

“A Vantagem de Sonnie”

Os 18 episódios curtos (3 horas para maratonar) são segundo seus criadores, “fáceis de assistir, mas difíceis de esquecer”. Ao entrar nos terrenos da guerra, governo, livre arbítrio, natureza e tecnologia, a série ousa em histórias incríveis e no audiovisual. Em outras palavras, uma bela porrada de imagem e som.

Mundo adulto

Através dos gêneros de ficção científica, fantasia, terror e comédia, cada história salta aos nossos olhos, nos alerta e nos choca.

Certamente, são assuntos que podem ser ligados com o que está acontecendo no mundo e que estão em um mundo bem adulto.

Destaques

As cenas e o enredo são totalmente no estilo das animações, só que voltados para o cinematográfico. Há também aspectos dos videogames, como por exemplo, em realidade virtual de uma cena de batalha entre dois “oponentes” (ep. A Vantagem de Sonnie), ou em narrativas e depois uma ação (ep. A Guerra Secreta).

Algumas histórias são fantásticas por apresentarem em si uma fantasia, como no psicodélico Noite de Pescaria, e por refletir em um propósito de vida, como em Zima Blue – que é, aliás, um dos melhores.

Destaco o humor ácido em Histórias Alternativas, que brinca com uma personalidade da história e 5 alternativas para sua morte.

A trilha sonora é específica em ser estridente e “barulhenta” com muito Hardcore + Drum n’Bass. Destaque para a melodramática Living in The Shadows, música tema do episódio Para Além da Fenda de Áquila.

“Para Além da Fenda de Áquila”

Sem hesitação, é uma série diferente, pesada, louca, mas excelente por isso mesmo.

Tim Miller que me perdoe, mas conhecendo o trabalho de Fincher (fã mesmo) dá pra ver sua maior influência na nudez, violência e no digital. Ou pelo menos, no que Love, Death + Robots vai JOGAR na sua cara.

Atenção! Conteúdo classificado como NSFW – Not Safe For Work.

100%

Nome: Love, Death + Robots.
Ano: 2019-.
Criador: Tim Miller.
Produtor executivo: David Fincher.
Distribuído por: Netflix.
Co. produtoras: Netflix, Blur Studio, outros.

  • Nota