Dead to Me é um seriado produzido pela Netflix e criado por Liz Feldman, cujo enredo mistura doses certas de comédia e drama mantendo um ritmo nada cansativo durante todos os 10 episódios da 1a temporada.

Após o falecimento de seu marido, Jen (Christina Applegate) procura um grupo de apoio onde outras pessoas também estão no processo de luto, é onde conhece Judy (Linda Cardellini), quem espontaneamente se aproxima de Jen com a intenção de abraçá-la sem ao menos a conhecer.

No início, Jen pensou que Judy fosse apenas mais uma daquelas loucas depressivas, que caçam pessoas para abraçar e chorar. De alguma forma, a atitude de Judy fez sentido para Jen, o que ocasionou a aproximação entre elas.

Dead to Me

O luto de Judy era causado pela perda de seu bebê, o que ocasionou uma mudança negativa em seu casamento e na relação consigo mesma. Não muito diferente, Jen estava apenas no início do processo de dor e sofrimento por ter perdido seu marido. Juntas elas encontraram uma sintonia em meio ao caos e a incerteza daquele momento.

No decorrer dos episódios a história confusa de Judy começa a ser melhor explicada, trazendo consigo aspectos da personagem que podem se mostrar muito controversos quanto o caráter dela.

Da mesma forma que as personagens são aprofundadas, mostrando toda a mudança ocasionada pelo luto, pela solidão e pela redescoberta de si mesmas depois da perda, a história também sofre constantes alterações, uma vez que ambas as personagens principais se relacionam e suas histórias se cruzam.

O enredo de “Dead to Me”, em si, é muito bem desenvolvido, fazendo com que o envolvimento entre o público e as personagens aconteça espontaneamente e logo nos primeiros episódios. Certamente, após o término da primeira temporada de estreia se espera a continuação dessa que foi uma história comovente e divertida.

Assista ao trailer:

Veja também: Odiou o final de Game of Thrones? Jason Momoa odiou mais