De uma citação de Albert Einstein na temporada 1, a 2ª temporada de Dark salta para uma de Friedrich Nietzsche. “Quando você olha muito tempo para um abismo, o abismo olha para você”, dizem  os primeiros segundos,  nos anunciando a nova imersão.

Uma das séries mais viciantes da Netflix é também uma das mais complexas. Na sua segunda temporada, o espectador tomará mais doses mentais de perplexidade. No geral, a impressão desta temporada é a de que houve uma continuidade fiel do ritmo da primeira. Do mesmo modo, seu efeito de prender a atenção segue a mesma constância de antes, deixando o marco de perfeita sincronia entre o complexo e o obscuro.

Assim sendo, e, cercada de mais mistério sobre o tempo, esta temporada nos faz ir para 5 novas épocas. Diante disso, é o futuro que interessa, mas presente e passado estão nas mãos, deslizando para um lado e outro. Como exemplo, o cenário inicial se dá em uma nova data (do passado) na caverna da cidade de Winden, servindo de plano secundário para o loop que a história percorre.

Dark/Netflix

Bem como na edição das cenas, os cortes que mudam de um ano a outro trazem um novo olhar sob Winden que está em um clima maior de tormenta. Com Jonas (Louis Hofmann) também desaparecido, o departamento de polícia recebe um novo chefe para uma força-tarefa. Um regresso, então, é feito nas provas e pistas reunidas por Charlotte. O espectador sente que coincidências não existem, isto é, que tudo está predeterminado.

Presume-se que algo foi projetado para suceder os eventos que afligem a cidade. A caverna, a usina nuclear, são eventos conectados. Além disso, são os cenários mais importantes onde todo sumiço acontece.  

Dark está mais química do que antes. Se em Chernobyl (série implacável da HBO sobre o desastre nuclear) se vê consequências humanas causadas pela radioatividade, em Dark os efeitos da Química e da Ciência vão além disso. A trama da 2ª temporada é fundamentada na temática do sobrenatural, canalizando o roteiro numa releitura sobre a criação do mundo.

Sabe-se que são 33 anos que saltam para o futuro ou para o passado, conectando os habitantes de Winden em um ciclo. Nesta temporada um último ciclo deve ser concluído. Seria este o apocalipse?
Netflix/Divulgação

Uma questão que não se deve esquecer na série é que o tempo não tem seu estado fixo. Se em uma cena se fala do ano 2019, nas outras cenas esse ano já não interessa mais. Em outras palavras, é como se o tempo verbal nos nossos diálogos fossem a linha não linear do tempo. Por exemplo, “tudo acontecerá como deve acontecer”, em paralelo com “tudo acontecerá como aconteceu”. As duas frases são ditas nesta temporada por alguém do futuro. A primeira é o alerta, enquanto que a segunda é a consolidação. Mais uma vez, o público é confrontado com a noção do tempo quando mais personagens viajam nele.

Este detalhe quase perturbador, embora, essencial, destrincha a série e ajuda a captarmos o propósito dela. Ou seja, de que tudo está conectado. Não somente os personagens (ao menos 3) encontram suas versões passada e futura, mas também, cada evento apocalíptico cruza o tempo.

Os diálogos certamente fazem o espectador querer imergir mais. É frequente os personagens fazerem citações bíblicas e metáforas pra elucidar uma situação. Aliás, esta 2ª temporada capricha nos diálogos densos, imprescindíveis para a narrativa que é penetrante.  

Por outro lado, está a trilha sonora marcante na cenas de mistério e hits dos anos 80 adicionados. O som ambiente e intimista da música tema, Goodbye (Apparat), não poderia ser esquecida. A abertura com ela ao fundo, desta vez, projeta novas incríveis imagens espelhadas. 

Dark chegou em 2017 abrindo caminho para uma trilogia de temporadas que só foi anunciada agora. Isso mesmo, a série irá somente até a terceira temporada.  

Mas isto não impede o fato de que ela é uma série robusta, perfeitamente arquitetada, que mesmo incompreendida não traz falhas na sua execução. Roteiro é brilhante com aspectos surpreendentes e elenco expressivo. As pontas soltas deixadas na primeira temporada foram trazidas pra segunda, de forma desafiadora.

Assista ao trailer da 2ª temporada de Dark que estreia nesta sexta, 21 de junho!

Veja também: Novo teaser da segunda temporada traz Jonas como herói