Terça-feira (18), foi o painel de O Escolhido, a nova série nacional distribuída pela Netflix. A Cinerama esteve presente no evento e trouxemos grandes novidades sobre a série.

Esse programa é uma adaptação da série mexicana Niño Santo. Nessa versão, três médicos viajam para o Pantanal afim de vacinar um vilarejo afastado; Em contrapartida, quando os moradores se recusam a tomar o medicamento, os médicos se veem presos em uma cidade cheia de mistérios e controlada por um único homem.

A série foi produzida pela Mixer Films; e dentro do painel, rolou um papo sobre quem são os personagens e qual a sua relação dentro daquele mundo.

O Escolhido é um homem, que diz ter o poder de curar as pessoas do vilarejo de Aguazul. Renan Tenca, interprete do protagonista, deu mais detalhes para entendermos qual o poder que o personagem tem com aquelas pessoas.

Renan explicou como uma sociedade controlada por homens vai lidar com o antagonismo de uma mulher tão forte como a médica Lúcia (Paloma Bernardi), que se recusa a sair sem vacinar aquelas pessoas.

O ESCOLHIDO | Netflix libera mais detalhes sobre a série em painel
Netflix, O Escolhido Premiere, São Paulo, June 2019 (L-R) Tuna Dwek, Mariano Mattos, Gutto Szuster, Paloma Bernardi, Pedro Caetano, Renan Tenca and Alli Willow
Os atores Pedro Caetano e Gutto Szuster que interpretam os médicos Damião e Enzo, também conversaram sobre os personagens. É notável que os dois vão enfrentar problemas em assimilar todas as coisas sobrenaturais que acontecem em Aguazul; entretanto, só vamos descobrir como eles vão lidar com isso, quando o programa estrear!

Mariano Mattos ainda conversou sobre a devoção de Matheus e como a chegada de Lúcia e sua equipe, vai destabilizar a vida em Aguazul; mas ele que não acredita que o mundo exterior tem salvação.

Mariano também falou sobre até onde chega a devoção de Matheus com O Escolhido – será que o braço direito vai estar disposto a tudo pela sua crença?

Tuna Dwek, interprete de Zulmira, uma antiga moradora da cidade, também falou sobre a dualidade e as camadas de sua personagem; que escolheu não se rebelar, e como isso representa um tipo de força feminina.

O lugar, a natureza e o processo criativo.

Os atores contaram sobre como o lugar e as pessoas ajudaram no processo de criação; e Tuna Dwek revelou como o folclore nacional, principalmente, está presente até o fundo desse roteiro.

“A gente foi descobrindo um Brasil que não é turístico e que não é folclórico, mas que é de um espirito tão genuíno.”

O programa foi gravado no Tocantins, e é notória a relação entre a terra e os atores. Ademais, eles comentaram e garantiram que se a série tivesse sido gravada em estúdio, o resultado final não seria o mesmo.

Renan Tenca ainda destacou a similaridade do roteiro com o contexto nacional, já que o programa fala de um líder que jura ter sido escolhido por Deus – mesmo que seja só uma coincidência, já que a obra original é de 2010.

O Escolhido estreia dia 28 de Junho, na Netflix. A série vai ter seis episódios, e promete segurar o espectador até o final.

Veja também:

Stranger Things | Divulgado trailer final épico da terceira temporada