Felipe Martins, assessor do presidente Jair Messias Bolsonaro e responsável por assuntos internacionais, criticou o filme “Coringa” em seu perfil no Twitter.

O assessor o definiu como puro ressentimento esquerdista e afirmou que o longa mostra um mundo ausente de Deus.

Assisti Joker. É uma demonstração do que a anomia social e o ressentimento esquerdista podem fazer com uma mente perturbada; um retrato desesperador das consequências do mundo sem Deus, sem propósito, sem transcendência e sem redenção que a geração de maio de 1968 tentou criar.” disse Martins.

“Warner Bros Pictures”

Após receber algumas críticas, Martins amenizou seu tom e afirmou que “O filme é muito bem feito da perspectiva artística e a atuação do Joaquin Phoenix é genial, mas o desconforto e a agonia que ele causa no telespectador lembram o incômodo e a aflição causados pelos filmes niilistas do Harmony Korine.”.

Coringa” está em cartaz nos cinemas brasileiros e já quebrou recordes de bilheteria em seu primeiro final de semana.