Crítica | Downton Abbey (2019)

1

Dando sequência à série de sucesso Downton Abbey, exibida na Inglaterra pelo canal ITV, o filme de 2019 acompanha as histórias da poderosa família Crawley e seus empregados. Dessa vez, os Crawley e seus funcionários devem se preparar para uma chegada inesperada do rei e da rainha da Inglaterra. A estrutura muito bem organizada da casa passa por mudanças com a vinda da realeza e vemos as reações particulares dos muitos personagens em relação a essa novidade, alguns entram em frenesi para servir ao rei e à rainha e outros, mais progressistas, discordam da monarquia. Em paralelo à história principal, acompanhamos aventuras de personagens mais secundários, como a trama do mordomo Thomas Barry que explora o mundo homossexual em um tempo onde sua sexualidade era considerada um crime, e, a trama de Tom Branson, o cunhado do patriarca da família Crawley, que impede uma revolução causada pela chegada da majestade.

Downton Abbey
Deadline

Para quem não acompanhou o programa ou tem uma memória mais falha, é difícil de lembrar onde cada um dos cerca de 20 personagens se encontravam no fim da série em 2016. Porém, para quem é fã de Downton Abbey, o filme é maravilhoso e não decepciona, pois traz toda a essência do seriado, dos dramas à belíssima direção de arte.

O roteiro é leve e muito engraçado, com diversas reviravoltas (algumas bem previsíveis e outras mais originais). O filme é mediano pois não se iguala à excelência do início da série mas também não é enfadonho como as últimas temporadas foram. Entretanto, um grande acerto do longa-metragem foi trazer mais uma vez uma importante discussão social. Temas como a libertação da Irlanda, o direito das mulheres e as injustiças contra homossexuais estão bem representadas na tela.

> Veja também: Crítica | A Vida Invisível

Downton Abbey estreou dia 13/09 na Inglaterra, dia 20/09 nos EUA, e, chega aos cinemas brasileiros em 21/11.

Confira o trailer:

80%
  • Nota