Crítica | Quando os Anjos Dormem, tudo de ruim em um filme

0

Quando os Anjos Dormem é um filme espanhol que conta a história do pai ausente tentando chegar em casa para comemorar as últimas horas do aniversário da filha.

A história começa com Germán (Julián VIllagrán) organizando a sua vida, na esperança de evitar que a esposa o deixe e que a filha fique decepcionada com ele. O tipo do pai que trabalha muito, está sempre em reuniões e tem uma família linda (mas levemente imperfeita) em casa.

Ele perde o voo (como sempre acontece) e precisa percorrer 500 km de distância do escritório onde estava até o seu lar. Fim, a história é essa.

Quando os Anjos Dormem merece uma crítica com spoilers

Eu vou dividir o meu artigo em duas partes, nesse comecinho rápido vou apenas dizer as minhas impressões sobre o filme e se você deveria ou não assistir.

Depois virá a crítica com spoilers.

Ok, vamos começar com a parte limpa do artigo

O roteiro é péssimo.

Para que um filme desse tipo funcione é preciso que o personagem tenha um objetivo muito claro em mente (voltar para casa) que exista um tempo curto para fazê-lo (antes de decepcionar mulher e filha) e que os obstáculos no caminho façam sentido ou interrompam o protagonista até certo ponto.

Tudo isso poderia fazer sentido, mas o filme tira o protagonista do seu objetivo, sem dar uma boa justificativa da causa. Elimina nosso desespero com a pressa dele, já que o atraso não pesa tanto quanto deveria (não nos momentos em que a tensão está sendo construída, o que seria importantíssimo).

O filme fica fazendo cortes melodramáticos de sobreposição. Ora mostrando o homem tentando resolver um problema na rua, ora mostrando a bela filhinha indo dormir e fazendo perguntas como “papai ama a gente, mamãe? (ama filha) então por qual razão ele nunca está aqui?”

É muito ruim de tão bobo, tão fácil, tão manipulativamente cansativo.

Os obstáculos também não têm sentido

Por exemplo, o principal adversário de Germán em seu retorno para casa é um atropelamento. Ele mata uma jovem que estava na estrada, daí surge toda a história do filme e a construção (ou evolução) do personagem teria as suas raízes presas nesse acidente.

Uma pequena digressão: para se ter uma ideia da ineficiência do filme, em Relatos Selvagens a história do Sr. Bombita transita mais ou menos pelos mesmos sentimentos que Quando os Anjos Dormem queria transitar. Contudo, lá, em menos de 25 minutos, o filme conta uma história magistral, com final incrível. Neste, do nosso artigo, o filme não conseguiria fazer isso nem se dessemos para ele 3 dias de duração.

Muitas decisões dos personagens são ilógicas

A motivação de Germán também fica difusa quando ele deixa de perseguir seu objetivo central (voltar para casa) e passa a entrar em conflito com outros personagens. Para piorar, sua antagonista principal (a melhor amiga da garota atropelada) é uma personagem sem qualquer nexo de comportamento.

Os diálogos são vazios. Tem mais, há tantas coincidências no filme que ele beira o insuportável.

Essa é a segunda vez que eu dou nota zero para um filme. Na primeira, a produção era amadora, o filme era feito para ser assistido em festivais Indie e aos responsáveis claramente não tinham qualquer pretensão com o que estava sendo feito.

Infelizmente, isso não pode ser dito desse filme, pois, Quando os Anjos Dormem é um filme sério, que pretende ser levado à sério e falha em todos os sentidos.

A fotografia é insossa, a trilha sonora não apresenta nada de especial, a construção dos personagens é terrível, com caracterizações até ofensivas de tão descompromissadas.

Muitos antagonistas brotam aqui e ali com comportamentos injustificáveis. É um filme difícil de chegar ao final. Está no catálogo da Netflix (é uma produção original dela).

Boa sorte

Parte da crítica com spoilers

Bem, se você já viu o filme, ou pretende ver e quer prestar atenção em questões pontuais, aqui vão alguns spoilers.

Por qual razão o pai não vai para casa de uma vez? Sim, nós temos alguma consciência de que ele quer chegar em casa com a ficha limpa, mas em alguns momentos isso passa do absurdo. Não dá para comprar esse pai correndo atrás de uma adolescente a noite toda para tentar salvar a própria pele.

A garota morta não tinha qualquer carisma. Não consegui me importar em nada com a vida dessa personagem, só isso já tira o peso de muitas cenas do filme que, do contrário, teriam relevância.

A amiga da garota morta é estranha. Escreveram um roteiro ruim, com cenas e reações sem nexo, e deram esse material quadrado na mão de uma atriz incompetente. Em diversos momentos, diversos, eu fiquei me perguntando o que estava acontecendo. Não em um bom sentido, daquele encontrado em reviravoltas interessantes. Era um “o que está acontecendo” frustrado, porque nada na tela tinha lógica.

Como ela corre tanto e eles ainda se encontram? De qual vez eu estou querendo dizer isso? De todas as vezes. Protagonista e “antagonista” estão em um jogo de gato e rato (que dura mais do que deveria) e, indiferentemente de o quanto ela corra e para onde ela corra, ele sempre irá alcançá-la.

O roteiro perde a imaginação.

O primeiro ato é até interessante, quando ele discute com a esposa, quando ela chama a atenção, o ciúmes do vizinho. Não são cenas perfeitas, mas até que estava aceitável.

Teve também a lanterna destruída por um carro, que depois virou um problema com a polícia resultando em um aviso sobre o cansaço dele e o risco de dormir dirigindo. Exemplos de decisões acertadas, nem tudo estava perdido.

Entretanto, do acidente até os créditos finais, o filme entrou em uma espiral de cenas forçadas e escolhas ruins.

É terrível ver um filme que poderia ser melhor se alguns ajustes fossem feitos. Como ficou, nota zero é até uma bondade.

Avisos finais

Como gosto de falar e já peço nos meus últimos artigos. Estou completamente mergulhado no gênero de Terror. Então, se você quer ver a crítica de algum filme aqui na página, basta deixar o comentário no Facebook, que eu estou acompanhando todas as respostas.

Esse redator também é escritor. Se estiver com vontade de pegar uma leitura leve, rápida, com cenas marcantes e muitos assassinatos, conheça dois dos meus livros. Um Link está aqui, o outro aqui. Você também pode me seguir no Instagram, estou sempre postando contos de terror/suspense.

Abaixo o trailer

Ouça o nosso podcast:

0%
Péssimo

2019 estava acabando e Quando os Anjos Dormem conseguiu roubar o posto de pior filme que eu vi esse ano.

  • Geral